quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

ócio [nada] produtivo

continuando na vibe jornalistafrenéticanaproduçãojornalista - desde a decisão de que terminarei esse estorvo de faculdade e jornalistarei pelo resto da escolhida sofrida vida não páro de jornalistar - e também no ócio completo cheio de decisões sobre fazer tudo e no fim das contas apenas fumar, beber um pouco, cantar muito e fazer nada, ando descobrindo milhões de coisas novas na internet - até então desconhecidas pela hacker de orkut e leiga de internet em geral.
uma delas - procuradíssima por mim e pelo david - é o faceyourmanga. sabe aquelas carinhas de mangá que os amiguinhos colocam em todos os lugares e você não sabe onde fazer? pois é, aqui está o caminho. clicando aqui você será direcionado ao site no qual você pode fazer de você um mangá!

(eu juro que tentei, e este foi o máximo ao qual cheguei do meu mangá...)
(e este foi o que o david fez de mim... notáveis diferenças de ponto de vista...)
se você estiver aí, na internet, procurando o que fazer, cansou de baixar músicas, assistir a vídeos toscos no youtube, fuçar a vida dos outros no orkut, faça agora mesmo seu mangá e dos seus amiguinhos!
o site é italiano, criado por duas empresas, pixelheads e ddt network, e ou em inglês ou em italiano. você pode receber sua caricatura por e-mail, ou então dar um printscream e colar no photoshop, cortar e tal [o tamanho exato é 178x178 pxls ou 6,28x6,28 cm - pra facilitar a vida!]. caso goste muito mesmo do resultado, pode comprar [em euros] uma caricatura grande e colar no quarto, na cozinha, na sala...

eeeee, além do faceyourmanga, esses dias estava no blog da ana luiza, nos dias de procura pelo mangazinho belo, e achei um outro site que faz seu corpinho e tudo em traços japas. clicando aqui você pode fazer você [e os amiguinhos] na faixa também, com muitos mais acessórios e opções do que o faceyourmanga.

(mais uma tentativa de reproduzir a minha pessoa, por mim mesma...)
o MEU problema em TODOS estes sites é e sempre será o cabelo. é praticamente impossível achar um cabelo como o meu - o que não me orgulha em absolutamente nada.
mas não custa passar um pouco da cultura inútil que eu venho adquirindo por esses dias ociosos na rede.

[e agora, depois de jornalista, encarnarei a faxineira e tentarei consertar um pouco do estrago que viemos fazendo por esses dias nessa república de jornalistas frustados, cantores e dançarinos promissores e artistas estagnados...]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores